segunda-feira, 3 de dezembro de 2007

Do sinal de fumaça à Internet

Todos nós (jornalistas, RPs, radialistas, etc), um dia tivemos aula sobre meios de comunicação. Pois bem, quero relembrar aqui um pouco esse assunto e analisar a sua evolução.

No início da história do homem na terra, os povos primitivos se comunicavam à distância fazendo uma fogueira. A fumaça era abafada por um pano e se erguiam para o céu os símbolos com seus significados pré-estabelecidos. Imaginem a mão-de-obra que essa comunicação demandava. Em função disso, as mensagens eram restritas ao essencial e urgente.

Muitos séculos depois, eis que surge o telégrafo. Nesse caso, também havia a necessidade de se utilizar signos que economizassem tempo. E quem não conhece a famosa sigla SOS? No alfabeto Morse, as três letras, que significam "salvai nossas almas" ("save our souls') ou "salve nossas peles" ("save our skins"), ganharam o mundo por sua praticidade em comunicar algo urgente. Dessa maneira, quem recebia o sinal ficava sabendo que alguém pedia socorro. E, mesmo que não pudesse atender, ficava informado de que alguém estava na pior.

Do sinal de fumaça à internet, podemos ver uma grande evolução no ato de se comunicar. Com certeza, esse desenvolvimento trouxe muitos benefícios a sociedade. Mas, como tudo, temos prós e contras, por exemplo, a banalização da informação. Ao contrário do que era vivido no início do século XX, temos, hoje, uma oferta de informações bem maior do que a procura. Atualmente, recebemos um número muito grande de notícias que nem sempre atendem a premissa básica da comunicação. Portais e sites estão à disposição de um número cada vez maior de pessoas que desejam se comunicar, embora sem nada de importante a transmitir.

Como profissional da área, me pego, freqüentemente, refletindo sobre qual é o papel do RP frente a essa onda gigante que atinge nossos públicos de interesse? Como posso ter certeza de que os stakeholders estão recebendo a informação adequada sobre meu cliente ou empresa? Como avaliar a eficácia dessas novas mídias?

2 comentários:

SParaMaiores disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Anônimo disse...

São coisas que não podemos explicar e muito menos prever. A evolução da comunicação nos surpreende a cada dia. E a necessidade que o homem tem de se comunicar, ainda mais. Estive no onibus hoje com um casal de surdos/mudos. É incrível que mesmo sem som, fumaça ou qualquer artifício, o homem se comunica. Basta um par de mão dedicadas e, às vezes, nem isso.
O que importa é que esta mesma comunicação permitiu que surgissem os blogs....e com eles, este exemplo de profissional dedicado e apaixonado pelo que faz.
Amo sua dedicação, sua intelgência e suas indagações! Continue firme em seu propósito! Um grande beijo da mais que admiradora,
Fla